Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sofia com fibra

Sofia com fibra

E se andasses a vida toda à tua procura?

tumblr_o9h0ucje5v1vpbhtao1_500.jpg

 (Foto: internet)

 

 

Foi o que me aconteceu...

 

Durante toda a vida, as minhas escolhas passaram por arte, arte e mais arte, mas andei sempre lá perto sem nunca ter a coragem de chafurdar no meio dela, fiz várias tentativas que não passaram disso mesmo.

Perdi quinze anos da minha vida com uma profissão que em nada me emocionava ou apaixonasse, poderia ter continuado a resignar-me àquilo que fazia, podia, mas julgo que quinze anos já foi tempo de mais. 

Durante este tempo todo, procurei outras "distracções" como escape emocional, experimentei até de mais, tenho a noção disso, mas era a única maneira de me abstrair do "asco" que sentia pelo que fazia. 

Depois da chegada do meu mais recente príncipe, achei que já estava de bom tamanho o acanhar que sentia e em harmonia com o mundo soltei as amarras que me prendiam ao passado profissional. 

Passei a ser só mãe...

E com a maior naturalidade e calma deste mundo, as coisas foram acontecendo na minha cabeça, as peças foram encaixando e as respostas aparecendo sem eu as pedir. 

Descobri o que quero fazer para o resto da vida... parece um pouco tarde recomeçar do zero, depois dos trinta e alguns anos, mas para mim não é nada tarde, bem pelo contrário.

Durante este tempo todo, deu para aprender um pouco de tudo, e definir a minha personalidade enquanto mulher apaixonada pelas coisas, descobri o que realmente gosto e o que não gosto, amadureci e reergui-me novamente. 

 

 

Quando era miúda adorava fazer recreações da realidade mas em ponto pequeno, fazia cenários com plantas, vasos, objectos, tudo servia para soltar a imaginação e criar o mundo em ponto pequeno.

Adorava mexer na terra, tal como ainda hoje gosto (detesto ter as mãos sujas e passo a vida a lava-las o que não deixa de ser um grande contra-senso mas tá bem! hahaha) e como já o disse aqui, adoro cactos, em especial, suculentas. 

Então comecei por experimentar fazer mini jardins com coisas cá de casa e embelezando a minha varanda, depois foram uns vasos para o meu filho oferecer à professora, à auxiliar e à sua namoradinha ( é um pinga amor). 

E ai caiu a ficha toda.

Como é que é possível eu não ter visto isto antes e ter andado sempre as voltas e voltas quando a resposta estava mesmo na ponta do meu nariz.

Por vezes não vemos o que é óbvio e sim eu já sei o que estão a pensar. 

Não será uma decisão precipitada?  Não, precipitada foi a minha vida até aqui, o que vos posso dizer é que estou ciente do que aí vem e da força que terei de ter para não abrandar. 

 

E na verdade eu só quero fazer mini jardins e terrários para o resto da vida...

 

Caso queiram espreitar a minha aventura, ainda muito tímida é certo, mas seguramente que terá muito amor por estes lados, espreita aqui> Instagram  e aqui no Facebook

7 comentários

Comentar post